A mãe e o paraíso

Cacá Dominiquini Fotografias

Ser mãe é padecer no paraíso.

Frase já gasta pelo uso demasiado, mas que sempre cai como uma luva quando o assunto é a maternidade.

Afinal, quem está no paraíso? Nós, mães, é que não. A realidade está longe de ser um paraíso, pois nos põe à prova constantemente no enfrentamento das decepções, frustrações, cumprimentos, renúncias, essas coisas todas que nos são exigidas em nome do crescimento e da maturidade.

A mãe, então, entrega-se, esquecendo-se, praticamente, do mundo externo, e entrando num estado de fusão com seu filho, para se tornar capaz de traduzir e satisfazer todas as suas necessidades.

O paraíso é, então, essa relação com essa intensidade de doação, que a mãe proporciona ao filho, e não é que é o melhor, o mais prazeroso e gratificante fato que me aconteceu na vida? Se assim for, eu padeço e padeceria quantas vezes fosse preciso.

Nunca entendi a dimensão e tamanha profundidade desta responsabilidade até me tornar mãe.

Ficar enorme carregando um peso muito maior que podemos suportar e se achar a mais poderosa do mundo.
Dormir com um barrigão e acordar com um bebê pendurado 24 hs no seu peito.
Peitos que até ontem eram dignos somente de prazer luxuriosos e hoje é a principal fonte de vida de alguém.
Abir mão de sí mesma em prol de outro indivíduo.
Deixar suas vontade sempre em segundo, terceiro plano.
Dar o melhor de sí, trabalhar duro e sem pedir nada em troca.
Ficar feliz com um cocô, com um arroto. Nojo? Nem me lembro mais!

O paraíso não é pra qualquer uma, o paraíso é para aquelas dignas de ser mães. Ser mãe é ter mais do que o seu coração fora do corpo, é ter sua vida correndo nas veias de outro alguém.

“Ser mãe é desdobrar fibra por fibra, o coração! Ser mãe é terno alheio, lábio que suga, o pedestal do seio, onde a vida, onde o amor,cantando, vibra.

Ser mãe é ser um anjo que se libra, sobre um berço dormindo! É ser anseio, é ser temeridade, é ser receio,  é ser força que os males equilibra!

Todo o bem que a mãe goza é bem do filho, espelho em que se mira afortunada, Luz que lhe põe nos olhos novo brilho!
Ser mãe é andar chorando num sorriso!  Ser mãe é ter um mundo e não ter nada! Ser mãe é padecer num paraíso!” Henrique Maximiano Coelho Neto

Com amor, Natália Piassentini

Deixe seu comentário